fbpx
Menu fechado

Dica de filme para empreendedores que querem inovar

Coco antes de Chanel (2009)

Um filme bibliográfico que serve de lição em alguns aspectos da vida empresarial, nos mostrando  como o olhar da própria protagonista os exageros da moda feminina do início do século XX e como a expressão “ditadura da moda” fica evidente em vários momentos, em parte pela passividade de alguns personagens em aceitar a imposição dos produtos disponíveis na época com a ideia de algo novo gerava medo.

Tentando evitar estragar a experiência do leitor ( com os chamados spoilers) tentarei me ater aos fatos mais relevantes a área de inovação sem fazer referências muito aprofundadas ao enredo da obra. Então, comecemos os trabalhos:

Coco, na verdade é um apelido que a protagonista ganhou e fez dele uma marca de sucesso, na verdade  seu nome era Gabrielle Bonheur Chanel. Ela trabalhava como cantora de cabaré e no resto do dia como costureira nos fundos de uma alfaiataria ao lado da irmã. Supostamente, ela teria ganhado o apelido por conta da canção interpretada em um número musical.

Uma característica de Chanel foi sua crítica ao vestuário feminino de sua época, com excesso de luxos como plumas, varias peças de roupas usadas ao mesmo tempo, alem dos famosos espartilhos usados para dar uma impressão de cintura fina, dificultando tarefas como andar a cavalo, até mesmo os chapéus era excessivamente carregado de adereços. Em contra partida, o vestuário masculino tinha uma elegância aliada a praticidade, deixando o  homem mais livre sem adereços para atrapalhar a movimentação, o que inspirou Coco em seus primeiros modelos usando como base roupas do rico militar que a teve como protegida por um tempo em sua casa, por vezes usando roupas de homem e depois as transformando em vestuário feminino.

No decorrer do filme mostra a visão diferenciada com ousadia, que é muitas vezes vital para reinventar algo, criando novas tendências, até mesmo o ato de mostrar ao cliente o que ele precisa, tendo que convencer a apostar em algo novo demandando uma insistência sutil e bem esclarecida explicando o porquê de cada detalhe e como algumas mudanças podem ser vantajosas.

Chanel teve sucesso mais por sua determinação em defender sua proposta de vestuário, ficando evidente em determinadas passagens do filme em que uma atriz de teatro gosta do trabalho da jovem costureira, comprando e indicando os chapéus produzidos, além de roupas, neste ponto também é demonstrada a importância de se fazer contatos com possíveis clientes e investidores, conhecer outras imagens e pessoas, possibilitando a inspiração de novas ideias.  Além do rico militar que a acolheu, um industrial inglês a ajudou a conseguir clientes e contatos diversos para sua loja em Paris.

No mais, vale a pena assistir o filme para conhecer parte da história da vida marcada pela ousadia, forte temperamento e inovação de Coco Chanel, cuja a inspiração ecoa no mundo da moda décadas depois de sua morte na no idos de 1970.

 

Autor do texto: José Eduardo Almeida Felix